CONTACTE-NOS: 214 146 393geral@clinicacabralbarreto.pt

Clínica Dr. Cabral Barreto

Mastopexia

A mama feminina pode descair devido a vários fatores como o excesso de peso, ausência de uso de soutien, idade, aumento e posterior redução de volume durante o aleitamento, gravidez e mudanças de peso.
As terapias médicas não cirúrgicas não se tem revelado eficazes, por isso a única terapêutica que o Médico pode recomendar é a cirurgia.
As candidatas a esta operação são mulheres em geral satisfeitas com o volume da mama, mas descontentes com o descaimento e posição ou tamanho do mamilo.

Existem diferentes técnicas operatórias para levantar a mama (pexia). O Cirurgião deve em cada caso adotar a que considere mais oportuna e sobretudo a que domine melhor. 

O objetivo da operação é levantar a mama no seu conjunto, diminuindo o volume no pólo inferior, aumentá-lo no superior e atingir a altura adequada do complexo areolo-mamilar.
Por outro lado a mama descaída (ptosada), apresenta-se achatada, situação que é corrigida atribuindo uma forma cónica com maior projeção.
Em alguns casos, o diâmetro mamário também está muito aumentado, pelo que é necessário diminuí-lo.
Como nesta cirurgia o objetivo não é diminuir volume, o Cirurgião retira apenas a pele que sobra com um mínimo de cicatrizes.
As técnicas antigas não se preocupavam muito com as cicatrizes e estas eram de tamanho considerável. As mais modernas tentam sempre que possível evitar as cicatrizes horizontais que cicatrizam pior e podem ver-se com o decote.
A incisão delineia a área em que a pele do seio será removida e define a nova localização para o mamilo. Quando a pele em excesso for removida, o mamilo e aréola são movidos, para uma posição mais alta.

Sequencia na Mastopexia:

  1. Marcação das incisões cutaneas com tinta própria.
  2. Infiltração anestésica cuidadosa.
  3. Desepidermização periareolar.
  4. Individualização do retalho pediculado inferior.
  5. Migração do retalho.
  6. Encerramento glandular e cutâneo.

A anestesia pode ser geral ou local com sedação.
Aqui optamos sempre que possível pela sedação com anestesia local; a razão é que a paciente não vai sentir dor no pós-operatório imediato.
Deve ser usado um penso adequado e um soutien próprio nos primeiros dias. Habitualmente aconselhamos o uso do soutien durante 3-4 semanas.

Resultado

Alguns pacientes, especialmente os que possuem seios relativamente pequenos e quedas mínimas, podem ser candidatos a procedimentos modificados que requerem incisões menos extensas.
Um implante mamário pode ser inserido ou não, dependendo da técnica utilizada, da vontade do paciente e da indicação do Cirurgião.
Embora as cicatrizes sejam o resultado inevitável de qualquer cirurgia, o Cirurgião fará todos os esforços para que a cicatriz seja o menos percetível possível. Mas a cicatrização é uma característica pessoal e varia de paciente para paciente.
O resultado final é visível ao final de 6 meses.

Cuidados no período pós-operatório

Após o ato operatório, a paciente usará um soutien específico, que deverá ser usado por aproximadamente 30 dias. Neste período, a paciente deverá sempre usar o soutien tanto de dia como de noite e após este período sempre que pratique desporto.
Banho ou duche, somente após a autorização do Médico.
Durante as primeiras semanas de pós-operatório, a paciente não deve realizar esforços físicos, pois existe o risco de abertura das suturas realizadas na mama. Depois desse tempo, gradualmente, a paciente vai voltando à sua vida normal e os esforços podem tornar a fazer parte da sua rotina.
A cicatriz resultante dependerá fundamentalmente da qualidade de cicatrização de cada paciente em particular. Cada indivíduo apresenta uma peculiaridade especial no que diz respeito à cicatrização.